ESQUECEU A SENHA?

Seja bem-vindo ao INDA!

INDA

24/11/2021 – Money Times

A entidade divulgou mais cedo que os distribuidores de aços planos em outubro tiveram alta de 0,6% nas vendas ante setembro, para 293,4 mil toneladas, mas queda de 21,1% na comparação com outubro do ano passado, quando a demanda interna ainda se recuperava do baque causado pelas primeiras medidas de isolamento social por causa da Covid-19.

As compras do setor, responsável por cerca de um terço do consumo do aço produzido pelas usinas nacionais, tiveram alta de 3,5% em outubro na comparação mensal e queda de 17,4% na relação anual, para 286,3 mil toneladas.

Com isso, os estoques do setor terminaram o mês passado em 826,2 mil toneladas, equivalente a 2,8 meses de venda.

SIDERURGIA

05/11/2021 – Valor

Mesmo com a queda de volume de vendas de aço plano no terceiro trimestre, a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) vê um consumo do produto retornar aos níveis de 2010. Segundo o diretor-executivo da empresa, Luís Martinez, este ano está com um desempenho “bem positivo” com o crescimento em todos os mercados consumidores que a empresa atende. “Prova disso é que o consumo aparente de aços planos está retornando aos níveis de 2010, com cerca de 15 milhões de toneladas anuais”, disse.

Para 2022, o executivo acredita que deverá haver uma acomodação, mas com crescimento de mercado. “Será um desempenho mais comedido obviamente, entretanto positivo e a CSN vai

trabalhar ‘full’, perseverar o mercado interno, melhorar o valor agregado, pulverizar ao máximo e permanecer com 80% do preço ligado ao mercado spot”, disse.

No terceiro trimestre, as vendas de aços da companhia somaram 982 mil toneladas, o que representou uma queda de 24% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

23/11/2021 – Valor

A demanda de aço no Brasil continua a desacelerar, diz o Citi, com o consumo caindo 11% em outubro e a produção recuando 9%, de acordo com dados do Instituto Aço Brasil divulgados na última semana.

Por outro lado, os analistas destacam que aços planos ainda são negociados no Brasil com um prêmio de 10% a 20% sobre o mercado internacional, o que sugere faixas de preço acima do normal e algumas pressões adicionais. “Novembro seria o sétimo mês seguido com os preços nesses patamares.”

Essa queda e algumas dinâmicas globais começam a afetar os preços do insumo no Brasil, destaca o banco americano, com os longos tendo desconto de 5% a 10% desde outubro com queda na margem e fortalecimento do aço turco no último mês. “Desde abril os longos não tiveram desconto sobre a paridade internacional.”

24/11/2021 – Valor

Sob impacto da forte desaceleração da produção de aço na China, maior fabricante da matéria-prima no mundo, desde julho, o volume mundial de outubro registrou queda de 10,6%, informou nesta terça-feira a World Steel Association, sediada em Bruxelas.

De acordo com a entidade, a produção global dos 64 países que reportam informações a ela foi de 145,7 milhões de toneladas. Esses países respondem por 85% do montante de aço bruto fabricado no mundo, diz a Worldsteel.

De janeiro a outubro, o volume global somou 1,607 bilhão de toneladas, o que ainda representou uma alta de 5,9% sobre igual período de 2020. Alguns países, como Japão, Índia, Estados Unidos, Alemanha e Brasil vêm mantendo forte recuperação do impacto da pandemia no ano passado.

MINERAÇÃO

17/11/2021 – Revista Mineração

Segundo o Índice de Comércio Exterior (Icomex) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), publicado no mês de setembro, as de commodities estão tendo aumento de participação nas exportações brasileiras.

Cerca de 69,7% de tudo que o país vendeu para o mercado externo foram produtos de commodities, entre eles o minério de ferro, um dos carros chefes das exportações nacionais.

Segundo Flávio Penido, diretor-presidente do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), as exportações do minério foram 110% maiores de janeiro a setembro deste ano, em relação ao mesmo período de 2020, gerando faturamento bruto de US$ 36,5 bilhões.

ECONOMIA

03/11/2021 – Globo Online

Mesmo após a elevação da taxa básica de juros, o mercado piorou as projeções para a inflação e crescimento da economia brasileira, indica o boletim Focus, do Banco Central (BC), divulgado nesta segunda-feira. A expectativa é que a inflação, medida pelo IPCA, feche 2021 em 9,17% – há um mês, a estimativa era de 8,51%.

Essa é a trigésima semana consecutiva em que o mercado projeta elevação da inflação. Na última semana, o BC elevou a Selic em 1,5 ponto percentual, a maior desde 2022, chegando a 7,75% e com sinalização para uma elevação na mesma magnitude na próxima reunião do Copom. Para 2022, o mercado projeta inflação em 4,55%.

As perspectivas de crescimento da economia também se deterioraram. Para 2022, a projeção de crescimento do PIB caiu para 1,20%, ante 1,40% na última semana – já são quatro semanas de queda. Em 2021, a estimativa para o crescimento da economia é de 4,94%.

04/11/2021 – IstoÉ Dinheiro

O Citi reduziu suas estimativas para o desempenho da atividade econômica do Brasil neste ano e no próximo, citando expectativas de que o Banco Central endureça ainda mais sua política monetária e leve a taxa Selic a 11% no primeiro trimestre de 2022.

O banco privado espera agora que o Produto Interno Bruto (PIB) cresça 4,9% em 2021 e 0,6% em 2022, ante projeções anteriores de expansão de 5,1% e 1,5%, respectivamente.

11/11/2021 – Globo Online

A inflação medida pelo IPCA acelerou em outubro e subiu 1,25%, segundo dados divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira, a maior alta para o mês desde 2002. O resultado, puxado pela alta de combustíveis, veio bem acima das expectativas de analistas, que esperavam 1,06%.

Com isso, o índice tem alta acumulada de 8,24% no ano e de 10,67% nos últimos 12 meses, superando muito a meta do Banco Central para 2021, o que pressiona a instituição para aprofundar o ritmo de elevação da taxa básica de juros, a Selic.

O BC trabalha com meta de inflação de 3,75% em 2021, com um intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual (p.p) para cima ou para baixo, ou seja de 2,25% a 5,25%.

22/11/2021 – Agência Brasil

A atividade econômica no país recuou 0,1% no terceiro trimestre, em relação ao período anterior, mas em setembro teve alta de 0,3%, se comparado a agosto. Frente ao terceiro trimestre do ano passado, a economia brasileira cresceu 4,1%, e 2,4% em setembro, comparado ao mesmo mês em 2020. Em termos monetários, no acumulado do ano até setembro, o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) foi estimado, em valores correntes, em R$ 6,338 trilhões.

Os dados são do Monitor do Produto Interno Bruto, elaborado pela Fundação Getulio Vargas (Monitor do PIB-FGV), divulgado hoje (19) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação (Ibre/FGV).

Na publicação, a FGV destacou a revisão para baixo de 1,4% para 1,2% na taxa de crescimento do PIB de 2019 feita pelo IBGE. Pelos cálculos do monitor, na próxima divulgação das Contas Nacionais Trimestrais (CNT) o IBGE vai fazer a revisão da taxa de crescimento do PIB em 2020 da queda de 4,1% para 4,2%.

23/11/2021 – O Estado de SP.

Economistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central elevaram novamente a estimativa para inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), e passaram a prever um valor acima de dois dígitos neste ano.

A expectativa do mercado consta do relatório Focus, divulgado nesta segunda-feira, 22 pelo Banco Central (BC). A projeção dos analistas para o IPCA de 2021 subiu de 9,77% para 10,12%, alta ininterrupta há 33 semanas, desde o relatório do dia 12 de abril. Há um mês, a estimativa estava em 8,96%.

Se confirmada a previsão, essa será a primeira vez que a inflação atinge esse patamar desde 2015 - quando o IPCA somou 10,67% - no governo da ex-presidente Dilma Rousseff.

AUTOMOTIVO

04/11/2021 – O Estado de SP.

A crise de abastecimento de insumos segue prejudicando a indústria de veículos, que teve no mês passado o pior outubro em vendas dos últimos cinco anos. Entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus, 162,4 mil unidades foram vendidas em outubro, 24,5% a menos do que o volume do mesmo período de 2020, quando o setor se reerguia do choque da pandemia.

Na comparação com setembro, as vendas tiveram alta de 4,7%, mas nada que sugira uma clara reação, considerando que o mês anterior a outubro foi, até agora, o pior deste ano.

Os números foram obtidos pelo Estadão/Broadcast no mercado e estão sujeitos a leves ajustes em relação aos balanços oficiais a serem divulgados amanhã pela Fenabrave, entidade que representa as concessionárias, e na segunda-feira pela Anfavea, associação das montadoras.

05/11/2021 – Valor

Em meio às dificuldades trazidas pela desorganização da cadeia produtiva, a produção de veículos automotores, reboques e carrocerias avançou 0,2% em setembro, frente a agosto, mas tem patamar de produção 22,6% inferior ao de dezembro de 2020, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF). Na comparação com o período pré- pandemia, em fevereiro de 2020, a produção está 19,4% abaixo.

O resultado de setembro foi apenas o segundo positivo no ano, na série com ajuste sazonal, ao lado da alta de 1,2% de abril. As quedas registradas foram de -0,6% em janeiro, -7,8% em fevereiro, -9,4% em março, -0,4% em maio, -3,5% em junho, -1,5% em julho e -2,9% em agosto.

09/11/2021 – O Estado de SP.

A falta de componentes eletrônicos nas linhas de montagem se traduziu no mês passado no pior outubro na produção de veículos em cinco anos. No total, 177,9 mil unidades foram montadas, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus, segundo balanço divulgado nesta segunda-feira, 8, pela Anfavea, entidade que representa as montadoras. Desde outubro de 2016, quando foram fabricados 177,6 mil veículos, não se via volume tão baixo para o mês.

Na comparação com o mesmo mês de 2020, a queda foi de 24,8%. Embora o resultado tenha sido 2,6% superior ao de setembro, a atividade segue comprometida na indústria de veículos pela falta de peças, tendo como maior gargalo a insuficiência de componentes eletrônicos, um problema global.

MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

05/11/2021 – Terra

A fabricante norte-americana de máquinas CNH Industrial, dona de marcas como Case e New Holland, registrou lucro líquido de US$ 329 milhões, ou US$ 0,24 por ação, no terceiro trimestre deste ano, segundo informou a empresa nesta quinta-feira. A companhia reverteu resultado negativo de igual período do ano passado, quando obteve prejuízo líquido de US$ 932 milhões, ou US$ 0,70 por ação.

O lucro por ação ajustado ficou em US$ 0,36. A receita avançou 23% em relação ao terceiro trimestre de 2020, de US$ 6,4 bilhões para US$ 7,9 bilhões.

25/11/2021 – Terra

O faturamento líquido do setor de máquinas e equipamentos recuou 6,4% em outubro ante setembro, segundo informou nesta quarta-feira, 24, a Abimaq, entidade que congrega as empresas do setor. Na comparação com igual mês do ano passado o faturamento líquido total do setor caiu 2,2%.

Porém no acumulado do ano mostra crescimento de 25,4% e expansão de 26,3% em 12 meses até outubro.

AGRÍCOLO RODOVIÁRIO

26/11/2021 – Agência Brasil

O Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou inflação de 0,71% em novembro deste ano, abaixo da taxa de 0,80%, do mês anterior. Com o resultado, o INCC-M acumula taxas de 13,68% no ano e de 14,69% em 12 meses.

O recuo de outubro para novembro foi puxado pelos materiais e equipamentos. Este segmento registrou uma inflação de 1,23% em novembro deste ano ante uma taxa de 1,68% em outubro.

Os serviços e a mão de obra, por outro lado, tiveram alta na taxa de inflação. A taxa dos serviços subiu de 0,36% em outubro para 0,49% novembro. Já a variação de preços da mão de obra subiu de 0,10% para 0,28%.

CONSTRUÇÃO CIVIL

11/11/2021 – Agência Brasil

O Índice Nacional da Construção Civil subiu 1,01% em outubro, 0,13 ponto percentual acima da taxa de setembro, quando houve variação de 0,88%. No acumulado de 12 meses alcançou 21,22%, pouco abaixo dos 22,06% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Já de janeiro a outubro acumulou 16,79%.

Em outubro de 2020, o índice havia sido 1,71%. Os dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) para outubro foram divulgados hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

PETROLÍFERO

18/11/2021 – Valor

A produção de petróleo da Petrobras, no Brasil, caiu 6,9% em outubro, ante setembro, para cerca de 2,007 milhões de barris diários, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP). Este é o menor patamar de produção da companhia desde dezembro de 2020 e o terceiro mês consecutivo de baixa. Na comparação com outubro do ano passado, houve uma queda de 6,3%.

A produção de gás natural da empresa, por sua vez, totalizou 92,286 milhões de metros cúbicos diários (m3/dia), o que representa uma retração de 0,5% em relação a setembro de 2021 e de 3,5% na comparação anual.

Associe-se!

Junte-se a nós e faça parte dos executivos que ajudam a traçar os rumos da distribuição de aço no Brasil.

INDA

O INDA, Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço, é uma Instituição Não Governamental, legalmente constituída, sem fins lucrativos e fundada em julho de 1970. Seu principal objetivo é promover o uso consciente do Aço, tanto no mercado interno quanto externo, aumentando com isso a competitividade do setor de distribuição e do sistema Siderúrgico Brasileiro como um todo.

Rua Silvia Bueno, 1660, 1º Andar, Cj 107, Ipiranga - São Paulo/SP

+55 11 2272-2121

© 2021 INDA | Todos os direitos reservados. desenvolvido por agência the bag.

TOP