Vendas de aços planos superam as expectativas e têm aumento de 38,5%

Diário do Comércio (MG) 22/07/2020

As vendas de aços planos pelas distribuidoras apresentaram crescimento de 38,5% em junho (290,5 mil toneladas) na comparação com o mês de maio (209,8 mil toneladas).

Em relação ao mesmo período do ano passado (247,5 mil toneladas), o aumento foi de 17,4%. Os dados foram divulgados pelo Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda).

Segundo o presidente da entidade, Carlos Loureiro, os números foram surpreendentes, uma vez que era esperado um crescimento menor do que ocorreu.

“Realmente, a economia está voltando mais rapidamente do que a gente imaginava. Com exceção do setor automobilístico, praticamente todos retornaram à normalidade, como o de máquinas agrícolas e linha branca, por exemplo”, destaca ele.

Loureiro também atribui o incremento ao momento de dificuldade vivido atualmente devido à pandemia do Covid-19. Isso traz consigo, afirma ele, uma tendência: a da busca por comprar de distribuidores.

“Quando se tem uma situação de dificuldade, quem compra tende a comprar mais na distribuição, pois há um controle maior na quantidade exata, com tonelagens mais precisas, e no prazo de pagamento”, pontua.

Assim, há uma previsão de que nos próximos meses haja um crescimento maior na participação da distribuição no consumo aparente.

O Inda estima um aumento de 15% em julho na comparação com o mês anterior no que diz respeito à compra e venda.

Reajustes – Em relação aos reajustes das siderúrgicas, Loureiro diz que já se fala em mais um aumento a partir de 1º de setembro. O último deles foi realizado no começo deste mês e girou em torno de 10%. No entanto, afirma o presidente do Inda, o próximo incremento depende de alguns fatores para ocorrer, como o preço do dólar.

Mais dados – As compras de aços planos tiveram um aumento de 49,7% em junho (297,2 mil toneladas) em relação a maio (198,5 mil toneladas). Na comparação com igual período de 2019 (230,1 mil toneladas), a alta foi de 29,2%.

O estoque de junho, em número absoluto, apresentou crescimento de 0,8% na comparação com maio, chegando a 855,5 mil toneladas. O giro de estoque fechou em queda, com 2,9 meses.