Siderurgia aponta recuperação, mas ainda é cedo para comprar ações do setor

Money Times 22/07/2020

O pior provavelmente já passou no mercado de aço brasileiro, de acordo com a análise da Ágora Investimentos, mas talvez ainda não seja a hora de comprar ações do setor.

A corretora avaliou, nesta terça-feira (21), os números divulgados pela INDA (Associação de Distribuidores de Aços Planos) sobre os números do setor em junho.

Entre os destaques estão:

As vendas dos distribuidores totalizaram 291 mil toneladas em junho, um aumento de 38,5% ante o mês anterior e +
17,4% na comparação com igual mês de 2019. Por dia, as vendas atingiram 13,2 mil toneladas, alta de 26% na comparação mensal e 6,7% ante igual mês do ano anterior.

As compras dos distribuidores totalizaram 297 mil toneladas em junho, um aumento de 50% no período e de 29% no comparativo anual. Por dia, as compras atingiram 13,5 mil toneladas, alta de 36% na comparação mensal e 17% ante igual mês do ano anterior. Os estoques no canal de distribuição aumentaram ligeiramente para 856 mil toneladas contra 849 mil toneladas de maio. Isso implica 2,9 meses de vendas, abaixo da média histórica de 5 anos, de 3,6 meses, em junho.

“Destacamos que parte da recuperação registrada provavelmente é explicada pela antecipação do volume, uma vez que as siderúrgicas de aços planos anunciaram aumentos de 10% nos preços a serem implementados a partir do início de julho”, informou a Ágora.

Na avaliação da corretora, as perspectivas de curto prazo continuam construtivas, pois o INDA espera que as vendas e compras continuem mostrando ganhos anuais em julho, enquanto as medidas de restrição continuam diminuindo.

Empresas

De acordo com a Ágora, as ações das siderúrgicas brasileiras podem já ter precificado uma trajetória significativa de recuperação do volume e preço em 2020/2021.