Usiminas e ArcelorMittal devem seguir a CSN e reajustar preço do aço, diz Inda

Valor Econômico 19/06/2020

Depois do anúncio de aumento de 10,5% nos preços da tonelada do aço feito pela Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), outras siderúrgicas também devem promover reajustes nas próximas semanas.

Segundo o presidente do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), Carlos Loureiro, já existe uma movimentação da Usiminas e da ArcelorMittal para promover esse aumento, também a partir de julho.

“Aumento de preço vem muito por necessidade das siderúrgicas em função da elevação dos custos. Usiminas e ArcelorMittal também devem anunciar alguma coisa nas próximas semanas. Acredito que deverá ser ao redor de 10% o reajuste de preços promovido por essas companhias”, disse Loureiro.

Mesmo com a demanda retraída, Loureiro acredita que esses aumentos devem ser repassados aos clientes. Isso porque, segundo ele, há uma pequena recuperação de alguns segmentos, como a construção civil, linha branca, implementos rodoviários e de máquinas agrícolas.

“Tirando o setor automotivo, os outros consumidores de aço melhoram um pouco. O consumo no mês de junho está um pouco melhor do que se imaginava. Claro que está pior comparando com o ano passado, mas ainda está melhor do que a estimativa”, afirmou.

Outro fator que deve corroborar esse reajuste é o preço do aço importado. Loureiro disse que o prêmio ainda está negativo em 10% e mesmo se ocorrer esse aumento, o preço do aço nacional se equipará ao importado. “Não incentiva a importação e o consumo de aço é inelástico, por isso acredito que as siderúrgicas conseguirão repassar esses aumentos”, ressaltou.