Compras de aço por distribuidores fecham 2019 com alta de 1,4%

Valor Econômico 22/01/2020

As compras de aço das siderúrgicas pelos distribuidores cresceram 47,9% em dezembro de 2019, para 291,2 mil toneladas, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em todo o ano de 2019, porém, a alta foi de apenas 1,4%, para 3,17 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda).

Segundo o Inda, as vendas de aço pelos distribuidores aumentaram 34,2% em dezembro, para 253,2 mil toneladas. No ano todo, o crescimento foi de 9,6% ante 2018, para 3,39 milhões de toneladas.

O presidente executivo do Inda, Carlos Loureiro, disse que o volume vendido de aço no ano passado chegou aos níveis de 2014. “Isso aconteceu muito pela antecipação de compras em razão do aumento no preço anunciado pelas usinas no final do ano. Os clientes tiveram que recompor os seus estoques”, disse.

Loureiro afirmou, ainda, que em março deverá haver outro reajuste nos preços de aço por parte das usinas.

Segundo ele, a Usiminas informou ontem (20) que deverá aumentar os seus preços em 10%.

“Vai ser mais um aumento e acreditamos que tenha espaço para isso. O reajuste no final do ano foi todo implementado”, disse.

A importação de aço, segundo os dados do Inda, chegou a 1,09 milhão de toneladas no ano passado, o que representou queda de 8,9% ante 2018. Em dezembro, foram importadas 53,76 mil toneladas, recuo de 43,3%.

“O que vem sustentando o preço das usinas é justamente a briga por mercado e não as importações. E acreditamos que, em janeiro e fevereiro, as importações serão baixas, como em novembro e dezembro”, afirmou o presidente do Inda.

Os estoques, de acordo com o Inda, fecharam o ano com 800,2 mil toneladas, o que representou um giro de 3,2 meses.