Aço sem reajuste

Valor Econômico 24/04/2019

As siderúrgicas brasileiras não devem imprimir novo aumento no preço do aço neste semestre. A opinião é o do presidente executivo do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), Carlos Jorge Loureiro. Ele não vê espaço no mercado interno para mais aumentos de preços da tonelada de aços planos neste primeiro semestre.

Segundo Loureiro, o que pode travar o reajuste é justamente a busca intensa por participação de mercado das siderúrgicas. Entretanto, os preços internacionais podem crescer US$ 20 a US$ 30 em função do aumento dos custos, principalmente minério de ferro e carvão. Além da variação cambial. “O mercado está equilibrado no Brasil. Se houvesse certa disciplina das siderúrgicas, poderiam promover o reajuste. Mas, há excesso de oferta e elas (siderúrgicas) estão preocupadas em manter o ‘market share’. É isso que irá segurar o aumento de preços no país”, afirmou.

No fim de março e no início deste mês, as siderúrgicas anunciaram reajustes de 10% a 15% nos preços dos aços.